Seguidores

terça-feira, 8 de junho de 2010

Há Alegria

O que aqui podeis ver é uma simples roseira... ela cresceu, cresceu e continuou crescendo. Foi-me oferecida, há muitos anos, num pequeno vaso, tendo-me sido explicado que era uma roseira de Stª.Terezinha, de minúsculas rosas brancas... Viveu cerca de 1 ano no seu vaso de origem, feliz e contente, mas sempre igual. Decidi, mas com receio, não fosse a plantinha estranhar, transplantá-la para o jardim. Ficou mais ou menos 2 anos vegetando, sem morrer mas sem evoluir, ás vezes quase que desaparecia... Até que... desatou a crescer! Ás vezes, depois de florir, tem de ser cortada, ou quando fica feia, mas sempre o mínimo possível. É quase uma árvore! No principio de cada Primavera ela cobre-se de rosas que já não são brancas, são de um rosa muito pálido, que enchem o ar daquele cheirinho inebriante que traz até ao meu jardim todo o tipo de criaturas de Deus...
E se bem podeis ver, nesta Primavera das surpresas, vieram atrás desse cheirinho gostoso um casal de melros... não os mesmos daquela outra postagem que fiz, esses já criaram os filhotes, já os ensinaram a usar condignamente as asas, talvez voltem o ano que vem... E serão bem vindos!
Estes são outros, chegaram á minha roseira, construiram um belo ninho, casa de uma única divisão, não necessitam de mais... e atarefados, revezando-se na tarefa árdua de alimentar os biquinhos esfomeados que os esperam abertos e sonoros, andam cá e lá trazendo no bico minhocas... que sei eu...
E vêm e vão...
A única coisa que consigo ver, entre o emaranhado de ramos, flores algumas já secas, folhas e espinhos, muitos espinhos... é o fundo do ninho e rabinho bem negro de um dos pais... não importa qual...
E eles vêm e vão, vêm e vão sempre na procura desesperada de alimentar os pequenotes famintos, para que depressa se façam fortes, para que depressa levantem voo e vão bem alto, cortando o vento com asas fortes, em busca de outros horizontes, talvez de outra roseira de cheiro inebriante, de espinhos protectores e sombra fresca...
Abençoada seja a Vida!

10 comentários:

Mizinha disse...

Adoro esse blog, um verdadeiro canto de preservação da natureza, Nesta linda roseira eles tem a paz de que tanto precisa, E nem se importam se estão sendo vigiados(cuidados). Poís tem a certeza, de que nada lhes aconteceram. que bom que voce existe Amiga.
Que comentário lindo voce deixou para mim, Voce é uma dessas pessoas especíais ao qual dedico meu pensamento quando, estou procurando fazer algo que vale a pena ser visto.Obrigada Querida Maga,bjs

Noah disse...

Há alegria sim Maga, em você e em suas palavras.
É tão bom visitar você.
Bj em teu ♥

Maria Ferreira disse...

Numa roseira nunca tinha visto ninhos. Obrigado pela partilha.´Beijos.

Faniquito disse...

Maga, minha querida.

O dia que eu entrar aqui e não sentir a tua "emoção " acho que vou ter um treco. hehehe

A tua roseira está a coisa mais linda, parece mesmo uma árvore e carregadinha de rosas.Que privilégio o seu de poder desfrutar da beleza e aroma delas. Sem contar que é raro ninhos em roseira, mas vc merece...pois dá p/ sentir o amor que vc tem pelo belo.

É sempre um prazer te visitar e sentir a tua energia...que é super do bem!!!

Muitos beijinhos

Ana

Maga disse...

Mizinha, querida amiga, obrigada pelas tuas palavras, obrigada por te lembrares de mim...
Um abraço pleno de ternura

Maga disse...

Noah, gostei que me tivesses visitado e gostei sobretudo que gostes de cá vir...
Eu também gosto de meter o nariz no teu cantinho, aparecem por lá coisas lindas, que apetece fazer, mas onde está o tempo para as fazer?
Um beijão

Maga disse...

Maria, é a nossa sina... tu vês ninhos em roseiras, eu vejo hortas em estradas!
Qual será a próxima?

Maga disse...

Ana, minha querida amiga, por favor não tenhas um treco...
Vou fazer os possíveis para que tal não aconteça, era uma tristura...
Obrigada por tão lindo comentário, volta mais vezes.
Beijão

Anabela Figueiredo disse...

As roseiras são lindas,exalam sempre um perfume fantástico e os melros na roseira dão-lhe um encanto especial
Um beijinho Maga

Maga disse...

Anabela, tens razão, a roseira e os melros são um casamento feliz!
Um beijo para ti