Seguidores

quinta-feira, 30 de julho de 2009

As Árvores Morrem de Pé


É triste uma morte...
Um ser da Natureza, que já foi forte, possante, capaz de enfrentar tempestades, eis que morre.. de pé!
No meu bairro, às vezes também acontecem coisas tristes. Nem tudo são gargalhadas, nem tudo são flores...

Ponte Vasco da Gama


Foi num fim de tarde, depois de um dia soalheiro... a vista cansada do sol, o corpo a pedir descanso, a alma a pedir alimento...
A água ali tão perto, o rio espraiando-se pela quase lama da margem, a ponte elegante assente em seus pilares...
E hoje, olhando a foto que então tirei, ainda penso: - Bendito seja o descanso!!!

Ponte



Vejam bem!!

Por entre as palmeiras e as flores do meu bairro, surge ao fundo, com vergonha de se mostrar, a Ponte Vasco da Gama!!

Nós aqui no meu bairro, temos tudo...
quase tudo... pontes não temos, mas temos a silhueta desta, que nos alegra a paisagem...
Antes isso...

Rosa


O meu bairro continua bonito, fresco, com ar de bom rapaz...
Esta rosa linda, de cor forte e chamativa, expressa claramente a força que dele emana, o apelo que ele nos faz...
O meu bairro é tão bonito e fresco que tem rosas destas espalhadas por aí, que tem sorrisos iguais a rosas, espalhados por aí...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Osga


Será que está a beber água? Será que bebem? Se calhar, depois de comerem uma formiga, um mosquito, uma mosca, ou talvez uma aranha com sal a mais, ficam com sede...
Coitadas das osgas, têm fama de venenosas e só fazem mal aos insectos, o que é um bem para nós e para as plantas.
Podem atingir cerca de 8,5cm. e reproduzem-se duas vezes ao ano, pondo os ovos em grupo. Possuem nas suas patas umas ventosas, o que lhes permite subirem e descerem por muros e paredes. Pertencem à classe dos repteis.
Depois disto tudo, aprendam e por favor não matem as osgas!
Eu também não gosto de as ver ao pé de mim, mas sei que matar, não! Muda-se de lugar e fica-se de olho na bichinha...

Osga


Ai que medo, uma osga!!!! Acudam!!
Coitada da osga que se alimenta daqueles insectos (esses sim, horríveis), que passeiam por cima de nós (e por cima de outras coisas), que nos picam a seu belo prazer, que nos incomodam a valer...
Vivem em toda a Península Ibérica, especialmente no centro e sul. Hibernam desde Novembro a Fevereiro - no Inverno gostam de se deliciar com o sol - não para ficarem morenas, mas para se aquecerem; no Verão só aparecem à noite, procurando o fresco e a luz de candeeiros para ser mais fácil apanharem alimento. O que elas não são, é burras...

terça-feira, 28 de julho de 2009

Equilíbrio


Para já tenho de explicar que esta foto fui eu que tirei, ao ecrã da televisão... Acreditem que é verdade, eu sou assim mesmo!


Eu acho a foto patusca. Claro que não era eu um dos 14, nesse caso já não acharia piada nenhuma! Realmente...

ROLHAS



Estão a ver bem, estão!...
São mesmo rolhas.

Perto da Lourinhã, ao passar por um restaurante de estrada, parámos e entrámos para uma espécie de pátio de onde se seguia para o estabelecimento propriamento dito. Até aqui tudo bem, tudo normal... eis senão, quando olho para o lado e deparo com esta coisa, que de repente nem percebi o que era...

Eram ROLHAS meu Deus, eram rolhas...
Agora eu pergunto: - quando tiverem mais para lá colocar, terão de trepar à árvore?

Cherovia


É uma Cherovia. Ou uma Pastinaga.
É uma raiz que se come cozida ou guisada e até há quem a utilize na sopa.
Tem mais vitaminas que a Cenoura, com a qual tem grandes parecenças, apesar de ser mais clara e com um sabor bastante mais intenso.
O seu cultivo vem da antiguidade, na Euroásia, sendo utilizada muito antes da batata. Em Portugal cultiva-se na Beira, mais precisamente na zona da Serra da Estrela, visto necessitar de um clima frio. Confiem no que lhes digo, provem que vão gostar...

Abobrinha


Não parece, mas é um fruto, pelo menos é como está classificada.
É a planta da abobrinha, é a flor da abobrinha e é uma abobrinha... ou se quiserem parecer gente muito fina, podem-lhe chamar "courgette".
Mas é que realmente é um fruto, não é como muito boa gente pensa, um legume.
Pertence à família do melão, da melancia e do pepino, é do género das abóboras.
Originária do continente americano, é fonte de vitamina B, tem poucas calorias e é de fácil digestão. Portanto, óptima para a nossa saúde e ainda por cima gostosa... Vamos aproveitar!!

Feijão Verde


Apareceram "só" há cerca de 8000 anos na América Central. Foram os nossos vizinhos de Espanha os culpados de terem sido introduzidos na Europa, em 1492.
E ainda bem que o fizeram!! Já viram como é lindo o feijão verde quando pendurado no arbusto que o criou?
Quando o temos no prato, verdinho, gostoso, bem apetitoso, seria bom agradecermos à Natureza que, apesar da poluição de que todos nós somos culpados, ainda assim, nos presenteia com tais delicias...

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Audrey Hephurn

Audrey Hephurn disse um dia (e até é verdade!)

"CASAR É TROCAR A ADMIRAÇÃO DE VÁRIOS HOMENS PELA CRÍTICA DE UM SÓ"

S.MARTINHO DO PORTO - Algumas imagens são retiradas da Internet, outras são fotos tiradas por mim


No litoral português, em pleno oceano Atlântico, a cerca de 100km. a norte de Lisboa, entre várias praias belíssimas e apetecíveis em tempo quente, há uma especial, que se destaca das demais por várias razões.
É uma praia grande, com cerca de 3km. de extensão, de areias finas, onde o mar é azul e manso, tão manso que as crianças ali brincam como se estivessem na banheira lá de casa...
É a Praia de S.Martinho do Porto, situada numa baía extraordinária, única na Europa!! Vista do céu tem o formato perfeito de uma concha!!

S.Martinho do Porto



Vista de terra tem-se a sensação de que o mar entra na baía por uma porta, uma grande porta de 250m.de abertura. De cada lado da entrada existem dois morros rochosos, o de Sant'Ana a sul e o do Farol a norte.

S.Martinho do Porto


No morro do Farol (que ladeia o Cais) pode-se alcançar o farol indo por baixo, pelo Túnel de Stº.António

S.Martinho do Porto




Esta praia é escolhida por muitos nórdicos como estância turística, devido ao clima, não muito quente, bastante ameno para quem não está habituado a altas temperaturas...

S.Martinho do Porto está dividida em duas partes, a do interior a que chamam a alta e que é a vila propriamente dita, com a sua Igreja, cujo padroeiro, (por vontade do abade de Alcobaça, D.Frei Estêvão Martins, no ano de 1257) é S.Martinho de Tours; a sua Delegação do Centro de Saúde;as suas três Escolas; as suas casas alegres de onde a vista alcança por vezes, belezas sem fim. E tem o Outeiro com uma vista única da barra.

A parte baixa é a turística, com sua avenida marginal, repleta de Cafés, Restaurantes (com pratos onde o peixe e o marisco são reis) e claro, lojas de lembranças...

Existe também um elevador panorâmico da autoria do Arqtº. Gonçalo Byrne, que facilita bastante a vida dos moradores e delicia os turistas.

Junto ao morro de Sant'Ana, existem ainda as ruínas de um estaleiro onde foram construídas as caravelas, nos reinados de D.Afonso V e de D.João II e alguns dos navios que faziam parte da Armada que seguiu rumo a Alcácer Quibir, comandada por D.Sebastião.

S.Martinho do Porto

Actualmente há um importante porto de recreio e o centro de recolha submarina de algas - vendo-se habitualmente as traineiras que fazem a apanha. Há ainda o Clube Náutico, fundado em 1986, visto S.Martinho do Porto ser escolha habitual de muitos velejadores.

S.Martinho do Porto foi fundada no reinado de D.Afonso III pelos monges do Mosteiro de Alcobaça, no sec.XIII. Pertence ao Distrito de Leiria - Concelho de Alcobaça - ocupa cerca de 15km2. de superfície e foi até ao ano de 1855 sede de Concelho

domingo, 26 de julho de 2009

S.Martinho do Porto


Do lado sul da baía desagua o rio Tornado, também conhecido por rio Salir, visto haver na sua foz uma povoação (também ela muito bonita e agradável) chamada Salir do Porto, que dista cerca de 1,4km. da vila de S.Martinho do Porto.

O rio Salir é propício à arte da pesca, havendo um autêntico massacre ás minhocas. Dizem que a Junta de Freguesia erigiu um monumento á "Minhoca Desconhecida"?!?! Mas uma coisa é certa... a primeira foto que aqui apresento é desse mesmo monumento... Acreditem se quizerem... mas acho melhor irem lá ver!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Cegonha


Indo eu, indo eu,
A caminho de Viseu...
Pois, não foi a caminho de Viseu, não senhor! Foi a caminho do Algarve que deparei com a mamã D.Cegonha, muito atarefada, a cuidar de sua cria, lá em cima, bem alto para ninguém incomodar...
Feliz vida lhes desejo!!

A Idade do Homem

Eu ás vezes, até leio!!
E quando a leitura é divertida, até que é engraçado...
No jornal "EXPRESSO DO ORIENTE", que folheava distraidamente, eis que surge uma coisa engraçada...
E por isso mesmo quero compartilhar convosco aquilo que li. Aqui vai:

DEUS CRIOU O BURRO E DISSE:

Serás Burro, trabalharás incansavelmente de sol a sol, carregando fardos nos lombos.
Comerás erva, não terás inteligência alguma, viverás 60 anos. SERÁS BURRO.
O BURRO RESPONDEU:
Serei Burro, mas viver 60 anos é muito, Senhor dá-me apenas 30 anos. Deus lhe deu 30
anos.

DEUS CRIOU O CÃO E DISSE:

Serás Cachorro, vigiarás a casa dos homens e serás o seu melhor amigo. Comerás os ossos
que ele te der, viverás 20 anos. SERÁS CÃO.
O CÃO RESPONDEU:
Senhor, comerei ossos, mas viver 20 anos é muito, Senhor. Dá-me 10 anos. Deus deu-lhe
10 anos.

DEUS CRIOU O MACACO E DISSE:

Serás Macaco, pularás de galho em galho, fazendo macaquices, serás divertido e viverás
20 anos. SERÁS MACACO.
O MACACO RESPONDEU:
Senhor, farei macaquices engraçadas, mas viver 20 anos é muito, dá-me apenas 10 anos.
Deus deu-lhe 10 anos.

DEUS CRIOU O HOMEM E DISSE:

Serás homem, o único ser racional sobre a face da Terra, usarás tua inteligência para te
sobrepores aos demais animais e à Natureza. Dominarás o Mundo e viverás 30 anos.
O HOMEM RESPONDEU:
Senhor, serei homem, o mais inteligente de todos os animais, mas viver 30 anos é muito
pouco. Senhor, dá-me os 30 anos que o BURRO rejeitou, os 10 anos que o CÃO não quis
e também os 10 anos que o MACACO dispensou.

E ASSIM DEUS FEZ O HOMEM...

Está bem...
Viverás 30 anos como homem. Casarás e passarás a viver 30 anos como BURRO,
trabalhando para pagar as contas e carregando fardos.
Serás aposentado pela Segurança Social, viverás 10 anos como CÃO, vigiando a casa.
Depois ficarás velho e viverás mais 10 anos como MACACO, pulando de casa em casa, de
um filho para outro, fazendo macaquices para divertir os netos...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Igreja


Dizem que a sua primeira pedra (30 de Novembro de 1975), foi cimentada com pequenas pedras que terão vindo de Belém, Nazaré, trazidas por 10 cristãos da Portela. Claro, é a Igreja da Portela!! Tem capacidade para 1099 pessoas, entre lugares sentados e de pé

Portela, que bela terra,
Tem belezas de encantar,
O seu Sol tem mais brilho
E mais luz o seu luar!

Adaptação de 1
quadra popular

sábado, 18 de julho de 2009

Ibisco


As minhas flores, pelo menos para mim, são lindas!!
É um "Ibisco", de flor singela, com umas cores muito bonitas. Tenho Ibiscos de outras cores e até de flores dobradas, mais ricos, mas este, pela singela aparência, pelas cores lindas que apresenta, acho-o digno de vos ser apresentado. Portanto heis D.Ibisco Lilás...

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Melro


Meu bairro é tudo aquilo que eu digo e mostro! Já viram que até tem melros passeando na relva? E não só melros, outros pássaros aparecem por aí, voando e rodopiando (e piando)...
As andorinhas vêm aqui anunciar com alegria quando a Primavera chega. Os pardalitos, a quem gosto de dar comida, são mais que muitos. Enfim, todos nós aqui vivemos e gostamos!

Canteiro Colorido


O meu bairro é lindo, é risonho, é colorido! Tem flores por todos os lados, é um jardim onde é bom viver. Eu gosto de aqui estar, de por aqui andar (ás vezes em correria, que a vida é uma pressa), de parar ás vezes, olhando as árvores as flores. Já disse e torno a dizer: EU GOSTO DO MEU BAIRRO!!

António Aleixo

Quadras Soltas de António Aleixo (Algarvio 1899-1949)

Para não fazeres ofensas
E teres dias felizes,
Não digas tudo o que pensas,
Mas pensa tudo o que dizes

És parvo, mas distinto,
Só vês bem o que tens perto
Não compreendes que te minto,
Quando te trato por esperto?

Só a Arte tem o poder
De a todos nos transmitir
O que todos podem ver,
Mas poucos sabem sentir

O Mundo só pode ser
Melhor do que até aqui,
- Quando consigas fazer
Mais p´los outros que por ti!

Flor de Cera




Chamam-lhes "Flor de Cera", derivado sua à textura, grossa e parafinada ao tacto. Até poderia ser chamada de outra coisa qualquer... a sua forma, as suas cores suaves, a sua beleza, essas nunca poderão ser mudadas!!

Lembro-me, quando era miúda, na aldeia da minha infância, haver quem tivesse a planta num vaso com uma grande asa, onde os ramos eram enrolados e ficava lindo!!!

As minhas estão num canteiro e trepam atrevidas, fazendo o efeito magnífico que se pode ver, com toda a sua beleza!!

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Camões

LUÍS DE CAMÕES

O céu, a terra, o vento sossegado...
As ondas, que se estendem pela areia...
Os peixes, que no mar o sono enfreia...
O nocturno silêncio repousado...

O pescador Aónio que, deitado
Onde co vento a água se meneia,
Chorando, o nome amado em vão nomeia,
Que não pode ser mais que nomeado:

- Ondas - dizia - antes que Amor me mate,
Tornai-me a minha Ninfa, que tão cedo
Me fizeste à morte estar sujeita.

Ninguém lhe fala; o mar de longe bate;
Move-se brandamente o arvoredo;
Leva-lhe o vento a voz, que ao vento deita...

quarta-feira, 15 de julho de 2009


Fonte da Telha, final do dia. O Sol ainda está alto, mas depressa irá para lá do horizonte, dar luz, calor, dar vida a povos e gentes do outro lado do Mundo.
E nós, deste lado e enquanto ele ainda nos ilumina, vamos assistir à pesca artesanal, à luta entre o Homem e o mar, à luta entre o Homem e o peixe, alimento desejado e apreciado!

O Sol reflete-se nas águas ondeantes, ele já vai baixo, vai querer fugir para lá da linha do horizonte...
A rede já está nas mãos dos pescadores, que a puxam, puxam, que o peixe verá ainda, espalhado na areia, os raios luminosos do Sol!

Vem pesada a rede. Os homens em esforço arrastam-na para a areia e aí sim, vão saber se a pesca foi boa, se valeu a pena o trabalho, se o peixe é do que dá dinheiro, ou se pelo contrário, é do que nem se vende, dá-se...

Finalmente a rede está na praia! O peixe salta (mas não de contentamento...) e as pessoas vindas de debaixo dos seus chapéus vão-se aproximando, espectadores do trabalho alheio...

Quando a rede sai do mar ela é arrastada para cima de umas lonas estendidas na areia e aí é despejada. Pescadores e suas mulheres escolhem então o peixe e separam-no conforme a espécie (sardinha, carapau, sardas, douradinhas, lulas ou até linguadinhos). Mas ele irá uma última vez ao mar, para ser lavado nas suas águas salgadas.

E aí vai ele, carregando nas mãos calejadas o peixe acabado de ser escolhido, para o lavar uma última vez no mar que o criou, que o alimentou, que lhe deu a vida... e de onde foi arrancado para satisfazer a gula dos Homens...

Depois do peixe ter sido lavado no mar para retirar o excesso de areia, ele é colocado novamente na caixa e de seguida será, ou vendido na praia, ou seguirá num dos tractores rumo à lota.

Acabado de pescar, saído do mar aos saltinhos, repousando agora nas caixas, à vista de toda a gente, até apetece levar para casa, que o jantar terá mais sabor, ainda sabendo a mar...
É o que acontece!
E aí vai ele, o fruto do mar, distribuído por sacos de plástico, pendurado nas mãos de banhistas gulosos, em direcção às brasas, que vermelhas esperam por ele...


, Chamei a este cão "Cão Pescador". Na faina da pesca há alguns pescadores que se fazem acompanhar pelos seus cães, o que é o caso deste grupo. Só que este cão é mesmo especial: ele espera ansioso a chegada das redes, ele olha para o mar atentamente (só falta pôr a pata sobre os olhos para os proteger do Sol) e quando finalmente as vislumbra, bem ao longe, ele corre atarefado em todas as direcções, ele entra no mar, ele volta e torna a fazer tudo de novo. Ele vive a chegada do peixe com uma alegria e um cuidado excepcional!! Imagino que ele deve estar convencido que sem a sua presença, sem a sua azafama, o peixe nunca chegaria ao areal.
Felicidades "Cão Pescador", que vás à pesca muitos anos, sempre igual ao que és agora!

videoA sardinha vai na rede descuidada

Vai encher o galeão

Ela é fresca, prateada,

Aos saltinhos pelo chão...

Assim se canta o vira da Nazaré. Mas não foi na Nazaré que eu assisti a este espectáculo, foi bem mais perto de Lisboa, na Fonte da Telha. Além de ser uma praia escolhida por muitos banhistas, surfistas e por gente que gosta do mar só pelo prazer de o olhar, também é terra de pescadores, de homens sofridos e gastos pelo sal, batidos pelos ventos e queimados pelo Sol. E mesmo no Verão, quando as beldades se passeiam pela praia ou torram no areal, estes homens puxam seus barcos com a ajuda de tractores, abrem suas redes e mesmo ali, debaixo de todos os olhos, eles vendem o peixe saltitante, sustento de sua família...

terça-feira, 14 de julho de 2009

FÉRIAS


Esta foto, em que um fardo de palha serve de cama a um pequenino gatito sonolento, numa tarde soalheira, foi a que escolhi, pela ternura, pela doçura que encerra, para dizer um muito obrigada a todos os meus seguidores e no geral para agradecer a todas as pessoas que me visitam.
Muito obrigada pela vossa paciência, muito obrigada por acharem que vale a pena visitarem-me, muito obrigada por dispensarem o vosso tempo a acompanharem-me!!
É tempo de férias, é tempo de descansar o corpo e o espírito, de mudar de ambiente, de fazer coisas novas, ou nem por isso, se calhar fazer coisas antigas mas que nos agradem...
A todos os seguidores do meu blog, a todos os meus Amigos, a todos os que me visitam, desejo umas férias óptimas, em que o Sol brilhe todos os dias no vosso espírito e que sintam renovadas todas as vossas energias. BEM HAJAM!!!

Pé de Burro


Claro, tive de perguntar a um pescador que bicharoco seria aquele...
Veio agarrado nas redes da pesca e para ali ficou esquecido, na areia molhada, esquecido do sabor das ondas...
E o pescador, admirado da minha ignorância, olhou-me e disse: -É um "Pé de Burro", é bom para cozinhar e comer, leve-o que vai gostar.
Mirei o bicharoco que abria e fechava sei eu lá o quê (talvez a boca ou o nariz?) e depois de lhe desejar boa viagem atirei o indefeso "Pé de Burro" pelos ares, em direcção à onda mais altaneira, e ele lá foi contente da vida.
Haviam era de ter visto a cara do pobre pescador, a olhar para mim e a pensar certamente, que eu era doida de todo... Deitar fora um petisco!!!!!

Pôr do Sol


Areal quieto, repousando de mil pés que sem piedade o pisaram, de mil vozes que sem piedade o massacraram... areal quieto esperando... esperando o enrolar do mar sereno, sereno agora, que já descansa da folia do dia... o seu barulhar calmante acalma até os peixes que nele dormem... o Sol fugindo com rapidez para o outro lado do Mundo, que há outro dia para iluminar lá longe...

E no meio desta quietude, deste esperar, desta quase sonolência, heis que surge a Vida na figura de uma criança, que recortada nas águas iluminadas, brinca curvada, com a areia e com a água a que um raiozito de Sol se juntou para a festa animar...

segunda-feira, 13 de julho de 2009

FÉRIAS


No Verão é sempre assim... uns vão, uns ficam, alguns nem por isso e outros andam lá e cá.
Eu, como é bom de ver, fui. Mas fui por pouco tempo e para pertinho, que eu cá sou assim, não vou nem fico, nem ando lá e cá, fui e pronto. Mas já cá estou (pelo menos por enquanto). Como já disse fui para bem perto, o que não deixa de ser uma opção bem relaxante, sem pressas nem atropelos. Mas o meu perto é bem lindo (aliás, como tudo na nossa terra) e se duvidam olhem para esta foto. São as gaivotas muito sabidas, que sabem que onde há pesca, há de certeza peixe fresco e saltitante, pronto a ser comido, salgadinho pelo mar (não existe melhor tempero)... Voam razando a ondulação e lá vão as pobres sardinhas, carapaus ou sardas, que escapando das malhas da rede, não escapam aos bicos ávidos das aves...